Arquivo do blog

Marcadores

Theme Support

Unordered List

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Atenção:

Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais: III - a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra; as imagens deste blog são retiradas da internet, se quiser credito pela autoria ou quiser que remova, é só entrar em contato conosco.

Importante:

As informações e sugestões contidas neste blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Seja + Um

Pesquisa

Arquivo

Seguir po Email

Tradutor

Calcule seu IMC

Calculadora IMC
Peso: kgs
Altura: m cm

05 fevereiro 2016

Placa na garganta? Saiba o que fazer

É importante diagnosticar a 
origem da placa na garganta. 
Foto: iStock, Getty Images
Dificuldade para engolir e falar pode indicar o princípio da formação de placa na garganta. Geralmente relacionada a uma infecção viral ou bacteriana, quando não tratada, pode se tornar um problema mais sério.

Bastante comum, a dor de garganta causa dificuldade no diagnóstico, com sintomas muito semelhantes entre a forma provocada pelo vírus e pela bactéria. Ou seja, é preciso atenção para acertar no tratamento.

Dores e marcas de pus? Placa na garganta
Normalmente, a dor de garganta é sentida como uma irritação da mucosa da faringe e recebe o nome de faringite. Nesse caso, os tecidos ficam avermelhados e doloridos, tornando difícil engolir alimentos.

Quando as amígdalas também são prejudicadas, ocorre a amigdalite. As principais causas são vírus, bactérias, rinite alérgica e refluxo. Mas você sabe a diferença? Vale ficar atento:

Dor de garganta viral
Ela costuma vir acompanhada de gripes ou resfriados. Além da dor de garganta, outros sintomas se manifestam como congestão nasal e tosse. Em alguns casos, as placas aparecem em cor clara, esbranquiçadas ou transparentes, diferentes das bacterianas.

Dor de garganta bacteriana
A placa na garganta é o sintoma mais comum da infecção provocada por bactérias. Esse tipo de dor é também chamado de estreptocócica e não está acompanhado de sintomas como tosse ou problemas respiratórios.
Por outro lado, o paciente pode manifestar cansaço, perda de apetite e febre. As placas aparecem na cor amarela, repletas de pus. Em alguns casos, há também bolhas de sangue na garganta.

Dor de garganta alérgica ou de refluxo
Não aparece placa na garganta, amigdalite ou febre. A causa alérgica provoca congestão nasal e espirros, além de secreções que escorrem pelo nariz. Já por refluxo, a dor é causada pela irritação e queimação, mas sem sinais de processos infecciosos.

Tratamento de placa na garganta pode ser demorado
A principal forma de diferenciar o tipo de dor é pela placa na garganta, que apresenta formas e cores diferentes. O ideal é que seja recolhida uma pequena amostra da placa e enviada ao laboratório para o diagnóstico preciso.

Caso a infecção tenha sido provocada por uma bactéria, é importante que os antibióticos sejam tomados diariamente, para que a febre reumática não se desenvolva. Em alguns casos, pode ser autorizada uma injeção de benzetacil, que provoca uma resposta mais rápida do organismo.

O tratamento com antibióticos pode levar até duas semanas. Para alívio da dor, utilize soluções à base de própolis, gengibre e hexamidina. Chás também colaboram para a hidratação dos tecidos e não irritam tanto por serem quentes.

No caso de a placa ser ocasionada por um vírus, o problema desaparece por si, mas pode ter seu cuidado acelerado com o uso de remédios. Quando alérgica ou provocada por refluxo, a dor de garganta deve ser tratada junto com sua origem. Consulte sempre o médico para indicar o melhor tratamento.

Outro agente causador é a bactéria Fusobacterium necrophorum. No entanto, esse tipo de infecção está passando despercebido pelos médicos e pode levar a danos ainda mais sérios, como lesões arteriais nas amígdalas.

Segundo um estudo da Universidade do Alabama, dos Estados Unidos, 20% dos 312 pacientes entrevistados possuíam infecção por essa bactéria, enquanto somente 9% apresentavam estreptococos, a forma mais comum do problema.

←  Anterior Proxima  → Inicio

Junte-se aos Amigos

Leve-me!!

Saúde Um Desafio - Sua saúde, seu bem estar!

Calcule o seu IMC

Calculadora de IMC HTML
Peso (em Kg)

Altura (em Cm)




IMC

Avaliacao do IMC


Calculadora IMC

Curta-nos no Facebook

Adicione-me no Google+

Siga-me!!

Postagens populares

Marcadores

 
▲Topo