Arquivo do blog

Marcadores

Theme Support

Unordered List

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Atenção:

Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais: III - a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra; as imagens deste blog são retiradas da internet, se quiser credito pela autoria ou quiser que remova, é só entrar em contato conosco.

Importante:

As informações e sugestões contidas neste blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Seja + Um

Pesquisa

Arquivo

Seguir po Email

Tradutor

Calcule seu IMC

Calculadora IMC
Peso: kgs
Altura: m cm

25 maio 2015

Crises hipertensivas: o que são? O que elas podem causar?

O que são as crises hipertensivas?
As crises hipertensivas são elevações bruscas e severas da pressão arterial, em pessoa habitualmente normotensa ou em hipertensos. Há uma forma maligna de crise hipertensiva que exige controle imediato da pressão arterial e outra em que o controle da pressão arterial pode ser feito em até 24 horas, com uso de medicação por via oral.

As crises hipertensivas podem ser classificadas em:
  1. Emergências hipertensivas: risco iminente de morte, lesão aguda em algum órgão-alvo.
  2. Urgências hipertensivas: sem sinais de riscos iminentes de morte ou de lesão aguda de órgão-alvo.
Quais são as causas das crises hipertensivas?
Quase sempre a hipertensão arterial ocorre por alterações da resistência periférica. O aumento repentino dela se dá pela falta de regulação dinâmica dos mecanismos que controlam a pressão arterial e podem ter origens neurológicas, vasculares, medicamentosas, uso de drogas e elevação descontrolada de alguns hormônios.

Quais são os principais sinais e sintomas das crises hipertensivas?
As crises hipertensivas apresentam sinais e sintomas graves que podem levar à morte. Geralmente, durante um episódio sem complicações a pessoa sente mal-estar, agitação, cefaleia, tonteira, visão turva, dor no peito, tosse e falta de ar. Também podem ocorrer hematúria e proteinúria medidas na urina.
Os órgãos que mais sofrem com as crises hipertensivas são os olhos, os rins, o coração e o cérebro.

Como o médico diagnostica as crises hipertensivas?
Diante dos sintomas sugestivos o médico deve verificar os níveis tensionais do paciente e os encontrará muito elevados, com pressão diastólica acima de 110 mmhg e deverá verificar se há deterioração dos órgãos-alvo. O exame físico deve verificar o estado do fundo de olho e a procura de sinais de insuficiência cardíaca, dissecção de aorta ou disfunção neurológica. 

Os exames complementares que ajudam a confirmar o diagnóstico de crise hipertensiva e de suas complicações incluem eletrocardiogramaradiografia de tórax, bem como análise de urinahemograma, dosagem de ureia, creatinina, açúcar sanguíneo e eletrólitos.

Alguns pacientes hipertensos podem ter sua pressão arterial elevada por eventos como crises dolorosas ou emocionais, por exemplo, sem que isso caracterize uma crise hipertensiva autêntica e sem sinais de deterioração rápida dos órgãos-alvo e nem risco imediato de vida.

Como o médico trata as crises hipertensivas?
As crises hipertensivas requerem atendimento imediato e intensivo em hospital. O médico deve atuar no sentido de reduzir imediatamente os níveis elevados da pressão arterial com medicações orais e intravenosas que diminuam bastante a resistência periférica. Deve também atuar no sentido de proteger os órgãos-alvo.

Quais são as complicações das crises hipertensivas?
As crises hipertensivas podem ocasionar complicações graves como acidente vascular cerebral, edema de fundo de olho, convulsões, dificuldades de falar, aneurisma dissecante da aorta, encefalopatia hipertensiva, nefrites agudas, infarto do miocárdio, edema agudo de pulmão.

Como evoluem as crises hipertensivas?
As crises hipertensivas podem ser resolvidas sem deixar sequelas, mas também pode haver danos orgânicos e risco imediato de vida.

A internação e o pronto tratamento da crise hipertensiva evita danos severos e lesões irreversíveis que podem levar o paciente ao óbito. 



←  Anterior Proxima  → Inicio

Junte-se aos Amigos

Leve-me!!

Saúde Um Desafio - Sua saúde, seu bem estar!

Calcule o seu IMC

Calculadora de IMC HTML
Peso (em Kg)

Altura (em Cm)




IMC

Avaliacao do IMC


Calculadora IMC

Curta-nos no Facebook

Adicione-me no Google+

Siga-me!!

Postagens populares

Marcadores

 
▲Topo